Exposições que você não pode perder em Curitiba

Separamos uma lista de exposições de artes visuais que estão espalhadas pela capital

Nem só de reclamar de frio vive o curitibano. A cidade é um celeiro de artistas das mais variadas áreas, e opção de cultura e entretenimento não falta. Só precisa estar bem informado. Pois pensando nisso, separamos algumas exposições de artes visuais que estão espalhados por Curitiba e que podem ser uma excelente e diferenciada programação para os finais de semana.

E pra melhorar ainda mais, muitas delas são gratuitas ou oferecem políticas diferenciadas de preço para moradores locais, estudantes, e diversos outros. Tem fotografia, esculturas do artista João Turin, painéis, exposições sensoriais, e muito mais para quem gosta de apreciar arte.

Confira e marque na agenda:

1 – Combo cultural na Ópera de Arame

Esse é um verdadeiro deleite cultural. No espaço hoje estão abrigadas três exposições, que ainda contam com uma natureza exuberante e música de qualidade. O teatro, que vem passando por uma verdadeira transformação cultural, abriga o projeto Vale da Música, festival permanente de música instrumental apresentado pelo Bradesco e com realização da Futura Fonte em parceria com a DC Set Group. Com isso, além de poder apreciar as exposições, é possível sentar e curtir. Ou seja, o passeio completo.

Mas, antes de sentar, aproveite o espaço e visite a exposição “Afetos Urbanos e Cidades Possíveis”, que reúne artistas locais contemporâneos e traz olhares diversos sobre a cidade de Curitiba, localizada no segundo andar da Ópera de Arame. Organizado por Ciclos, a mostra lança luz para o olhar da produção jovem e contemporânea expressos na fotografia, na arte digital e na arte urbana. Em abril, teve início o segundo ciclo de três, denominado Linhas, Apropriações e Imaginação Digital, em que dez artistas curitibanos apresentam obras que buscam as relações entre o analógico e o digital, trabalhando o conceito das linhas dos desenhos, colagem, performance e imagem digital. A mostra vai até setembro.

Já no palco do teatro, é possível apreciar a mostra “Do Ritmo ao Algoritmo”, que reconta a história da música e traz 15 painéis gigantes, deixando o espaço ainda mais belo. A exposição resgata a trajetória musical mundial através do olhar dos artistas e ilustradores curitibanos Clayton Jr., Caio Zero e Fernanda Bornacin. Promovido pela Lei de Incentivo à Cultura, apresentado pelo Ministério do Turismo, Ebanx e Empalux, e realizado pela Futura Fonte em parceria com a DC Set, a mostra é feita em tecidos com mais de 10 metros de altura, pendurados no alto do teatro e também ficam expostas até o final do ano.

Por último, o Jardim Sensorial, que recentemente foi inaugurado na Ópera de Arame, é uma exposição que reúne obras do designer carioca Marcos Scorzelli com 16 esculturas tridimensionais gigantes de animais feitos de chapa metálicas e outras cinco peças que representam a flora da cidade, incluindo a capivara, queridinha da cidade. Todas as peças podem ser tocadas e durante o caminho ainda é possível ouvir uma trilha sonora suave. O curador da exposição é Felipe Guerra e as obras são do artista e designer carioca Marcos Scorzelli. A exposição pode ser visitada até dia 03 de julho.

Serviço
Funcionamento:
  terça a domingo, das 10h às 18h
Valor para entrada no Vale da Música: R$ 15,00 inteira e R$ 7,50 meia-entrada. O benefício é válido para pessoas que estejam dentro da lei da meia-entrada, crianças de até 12 anos e para moradores de Curitiba e região metropolitana, que precisam levar um comprovante de residência para obter o desconto. Estudantes da rede pública mediante apresentação de comprovante, não pagam entrada.
Endereço: Rua João Gava, 970 – Abranches.

2 – África no MON

No Museu Oscar Niemeyer é possível visitar a exposição África: expressões artísticas de um continente. Apresentada pela Copel e viabilizada pelo governo do Estado do Paraná, a mostra reúne aproximadamente 1.700 obras que reúnem máscaras, esculturas, bustos e cabeças de bronze, miniaturas metálicas, objetos do cotidiano e instrumentos musicais de países como Costa do Marfim, Mali, Nigéria, Camarões, Moçambique, entre outros.

As peças todas foram doadas ao Museu e a exposição tem curadoria do historiador Renato Araújo da Silva.

Serviço
“África, Expressões Artísticas de um Continente”
Local: Sala 4
Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h
Endereço: Rua Marechal Hermes, 999

3 – João Turin de graça

Um dos expoentes das artes plásticas do Brasil, o artista João Turin, nascido em Morretes, deixou mais de 400 obras durante seus quase 50 anos de carreira. Especialista em esculturas, Turin foi premiado duas vezes no Salão de Belas Artes do Rio de Janeiro. Pois parte da magnitude das obras do artista estão expostas de forma gratuita no Memorial Paranista, localizado no parque São Lourenço. São cerca de 100 esculturas e baixos relevo do artista eum exposição permanente a céu aberto.

Serviço
Memorial Paranista João Turin
Local: Parque São Lourenço – Rua Mateus Leme, 4700
Entrada gratuita.

Anúncio