Goiânia lidera criação de empregos, e primeiro ano de gestão de Rogério Cruz tem saldo positivo de 35.871vagas

Foto: SECOM

Índice alcançado pela capital, em 2021, foi superior a 2019, período anterior à pandemia de Covid-19, quando foram criadas 21 mil ocupações com carteira assinada. Anápolis gerou 7.504 vagas no ano passado, e Aparecida de Goiânia 5.108. Dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). “Mesmo com todas as dificuldades do ano passado, conseguimos criar ambiente propício para geração de oportunidades e renda para nossa população”, avalia prefeito Rogério Cruz

 

Goiânia lidera no saldo da criação de empregos no primeiro ano de gestão do prefeito Rogério Cruz, em 2021. A capital criou 35.871 vagas de trabalhos formais, enquanto Anápolis gerou 7.529, e Aparecida de Goiânia 5.127 ocupações com a carteira assinada. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

“O ano de 2021 foi de inúmeros desafios. A pandemia de Covid-19 afetou a economia de todo o país. Trabalhamos muito para salvar vidas e mitigar o efeito da crise sanitária na economia da capital”, afirma prefeito Rogério Cruz. “Mesmo com todas as dificuldades do ano passado, conseguimos criar ambiente propício para geração de oportunidades e renda para nossa população”, avalia.

O número de novos empregos em 2021 é superior à quantidade de vagas criadas em todo ano de 2019, antes do início da pandemia. Naquele ano, foram gerados 21 mil novos postos de trabalho na capital.

“Foi um ano em que, mesmo com as restrições, conseguimos alcançar resultado positivo”, diz o prefeito. “A população tem uma participação enorme nesses números, porque trabalhou com consciência para colocar a comida na mesa de suas famílias”, destaca.

O secretário de Desenvolvimento e Economia Criativa, Michel Magul, afirma que “fomentamos a inclusão produtiva da nossa população. O emprego é a maneira mais segura, estável e satisfatória de superação da pobreza e da vulnerabilidade social”.

2022
O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) também divulgou os dados do trabalho formal em janeiro de 2022. Goiânia lidera na geração de emprego. O saldo foi de 4.273 novos trabalhadores com a carteira assinada, enquanto Aparecida de Goiânia obteve 1.149, e Anápolis 888 novas vagas.

O levantamento ainda apontou que Goiânia é a segunda capital do país com maior crescimento no saldo de trabalhadores registrados no mês de janeiro de 2022. Foram 25.437 admissões contra 21.164 desligamentos, o que gerou 4.273 novas contratações formais.

Com isso, a capital teve acréscimo de 0,92%, em relação a dezembro de 2021. Curitiba ficou com o primeiro lugar com crescimento de 1,01% em relação ao mesmo período.

Anúncio