Atividade à distância poderá ser acompanhada por meio de smart solution

Paulo Barreto

Apesar do aumento considerável da mudança do trabalho presencial para o home office, muitas companhias ainda não estavam preparadas para seguir nesse perfil. Para que isso não seja um desastre em termos de desempenho e entrega dos trabalhos de forma satisfatória, uma solução oferecida pela Tyr Technology, empresa especializada em segurança da informação e infra-estrutura de rede, atende a essa necessidade com discrição e inteligência de sistema. A Tyr Data Protection and Productivity – TDPP, nome dado à solução, atende dois pilares:

 

  • Proteção de dados: impede que dados sensíveis sejam copiados indevidamente por quem não possui autorização para tal. Ela impede ainda que o arquivo em questão seja impresso, copiado para pen drive, enviado por e-mail ou para o Google Drive, One Drive, Dropbox, via FTP, print screen etc. O sistema registra, a fim de auditoria, as tentativas que foram feitas de cópia não autorizada. Tudo isso por estar enquadrada nos moldes da LGPD (Lei Geral de Proteção de dados) e da DLP (Data Loss Prevention – em português: Prevenção de Perda de Dados).

 

  • Produtividade: por meio de monitoramento, é possível ver se o colaborador acessa redes sociais particulares ou sites não autorizados, se fica jogando, etc. Também faz um registro de auditoria de todas as atividades que o usuário faz e pode ser configurado para proibir o acesso a páginas ou aplicativos não autorizados.

 

Muito mais do que um serviço que a princípio pode parecer “espionagem”, o objetivo principal da ferramenta é de instruir o colaborador a ter uma rotina organizada e dentro dos padrões da segurança digital. Por conta disso, a solução está adequada à lei que protege os ativos pessoais do trabalhador, a “Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD)”, conforme estabelecido no Decreto nº 10.474, de 26 de agosto de 2020, que lhes assegura a proteção de seus ativos pessoais.

A instalação da TDPP é simples e é feita geralmente no aparelho disponibilizado pela empresa ao funcionário. O investimento custa em média de R$ 300,00/ano por computador. “Algumas empresas acabam utilizando esse tipo de ferramenta como uma abordagem punitiva. A nossa solução possui como diferencial um enfoque mais educativo para avaliar o comportamento dos colaboradores e contribuir para que o desempenho deles seja adequado à política da empresa e os dados sejam protegidos”, explica Paulo Barreto, diretor de tecnologia da Tyr.

Anúncio