Governo da China anuncia encerramento gradual de mercados de aves vivas

A China vai fechar, de maneira gradual, todos os estabelecimentos em que são vendidas aves vivas, uma medida para tentar reduzir os riscos para a saúde pública, segundo afirmou esta sexta-feira Chen Xu, um dos dirigentes da Administração Estatal para a Regulação dos Mercados.

De acordo com declarações do representante do Governo à imprensa local, serão impostas restrições “ao comércio e ao sacrifício de aves vivas”, embora ainda não haja mais detalhes sobre as medidas que serão adotadas.

Chen, no entanto, deixou claro que o Governo vai atuar com rigor, principalmente, contra a venda e o consumo de animais considerados ilegais.

O vice-presidente para a Ásia da organização Pessoas para o Tratamento Ético dos Animais (PETA), Jason Baker, comemorou a decisão das autoridades chinesas.

“Vai reduzir o sofrimento de milhões de animais diariamente. A PETA espera que vá mais além, com a proibição de todos os mercados de animais vivos no país”, explicou o dirigente da entidade.

O mercado de Wuhan, considerado o foco inicial da pandemia da COVID-19, vende carne de diversos animais exóticos. Já em Pequim, houve um surto recente no principal estabelecimento de comercialização de carnes e verduras.

Segundo uma fonte do governo, a China tem atualmente 44 mil mercados de produtores, diversos destes com negociação direta entre produtores e clientes.

Fonte: EFEPT

Anúncio