Apple: o iOS 14 e suas mudanças

A Apple apresentou esta segunda-feira o novo sistema operativo iOS 14, que traz como uma das principais novidades uma reformulação do ecrã de início para agrupar aplicações por categorias automaticamente e permitir widgets.

O anúncio marcou o início da conferência anual para desenvolvedores WWDC, que neste ano, pela primeira vez em 31 edições, é realizada de forma exclusivamente digital por causa da pandemia de COVID-19.

O agrupamento de apps no ecrã de início é feito através da nova App Library (biblioteca), com o objetivo de maximizar as opções sem ter que deslizar o dedo entre diferentes ecrãs da esquerda para a direira ou vice-versa.

Uma das categorias é a de “Sugestões”, que utiliza inteligência artificial para recomendar aplicações que o sistema considera mais úteis ao utilizador em cada momento.

Outra novidade do ecrã de início é a inclusão de widgets, que permitem obter informação de uma só vez, como a previsão do tempo ou a bolsa de valores.

O iOS 14 também permite na app de mensagens de texto marcar destaques, adiciona novos emojis e introduz no Apple Maps endereços específicos para rotas de bicicleta ou veículos elétricos (mostrando pontos de carregamento).

Como no caso do iPhone, a última versão do sistema operativo para iPad, introduzido no ano passado, também foi chamada iPadOS 14. Basicamente, trata-se de uma adaptação do iOS 14 com algumas especificidades de tablet, como uma funcionalidade de reconhecimento de texto manuscrito.

O Apple Watch, um dos produtos mais populares dos últimos anos, também recebeu uma atualização de software com o watchOS 7, que apresenta pela primeira vez uma funcionalidade para “ajudar a dormir melhor”.

A opção permite que o utilizador defina uma hora para se deitar. O dispositivo entrará em modo de “não perturbar”, ativará apps de relaxamento e meditação e, durante as horas de sono, usará micromovimentos e medição da respiração para fazer relatórios diários sobre a qualidade do sono.

Fonte:EFE

Anúncio