Europa: abertura progressiva de fronteiras para revitalizar o turismo

A Europa está a preparar-se para abrir as suas fronteiras internas devido ao coronavírus, na tentativa de impulsionar a economia e, em particular, o setor do turismo, que foi severamente danificado em todo o mundo pela COVID-19.

Num continente onde a indústria do turismo representa 10% do PIB e onde se aproxima o verão, a época alta do setor, a Comissão Europeia (CE) apresentou hoje as suas recomendações para reabrir gradualmente as fronteiras internas do bloco comunitário.

De acordo com a iniciativa de Bruxelas, que segue as decisões sobre o assunto já tomadas por alguns países, a reabertura seria realizada em três fases e com corredores seguros entre países com situações semelhantes.

Na primeira, a fase 0, a atual, existem restrições generalizadas de movimento entre Estados. Na fase 1, os obstáculos começariam a ser removidos e o movimento entre países em condições semelhantes seria garantido; na fase 2, todos os controlos deveriam ser suspensos e a normalidade restaurada, sempre levando em consideração a situação epidemiológica em cada área.

Além disso, a Comissão recomenda o uso de uma máscara em todos os transportes e que a distância de segurança seja respeitada, bem como protocolos sanitários para hotéis e outros alojamentos.

Anteriormente, França e o Reino Unido chegaram a um acordo para não exigir quarentenas para quem transita entre os dois países, enquanto Espanha irá aplicar uma quarentena de 14 dias a partir de 15 de maio a viajantes que chegam de outros países.

Fonte: EFE

Anúncio