Autismo: O que são TDPs e TEAs?

O termo TDP, ou Transtorno de Desenvolvimento Pervasivo, é utilizado para descrever problemas no desenvolvimento de uma criança. Os TDPs são chamados de transtornos de “espectro” porque cada criança apresenta sintomas que diferem em intensidade, variando de leve a bastante grave. No entanto, todas as crianças com TDP possuem algum grau de dificuldade nas seguintes áreas:

Habilidades sociais: tais como compartilhar emoções, entender como as pessoas estão se sentindo, expressar empatia ou manter conversações;

Comunicação: tanto verbal quanto não-verbal, tal como apontar, gesticular e fazer contato visual (olhar nos olhos);

Comportamentos ou interesses: tais como repetir palavras ou ações, brincar com coisas deforma incomum (girar objetos, enfileirar brinquedos) ou insistir em seguir rotinas ou cronogramas rígidos.

Existem cinco tipos de TDPs: Transtorno Autista, Transtorno de Desenvolvimento Pervasivo — Não Especificado de Outra Forma (TDP-NES), Síndrome de Asperger e outros distúrbios de menor freqüência: Síndrome de Rett e Transtorno Desintegrativo da Infância (TDI).

Como podemos ver abaixo, há três tipos de Transtornos do Espectro do Autismo (TDAs).

Transtorno do Espectro do Autismo

Como você pode ver pelo diagrama, o Transtorno Autista, o TDP-NES e a Síndrome de Asperger fazem parte dos Transtornos do Espectro do Autismo (TEAs).

O Transtorno Autista ou Autismo é caracterizado por dificuldades em todas as três áreas (comunicação, habilidades sociais e comportamento/interesses — veja acima).

O TDP-NES ou Autismo de Alta Funcionalidade descreve uma criança que se enquadra em alguns, mas não em todos os critérios de autismo ou que possui sintomas mais brandos em uma ou mais áreas.

A Síndrome de Asperger é caracterizada por habilidades básicas de linguagem relativamente boas e dificuldades nas interações sociais e em manter conversações. Uma criança com a Síndrome de Asperger pode também ter interesses intensos ou restritos e/ou comportamentos problemáticos.

Os especialistas encarregados de seu(sua) filho(a) podem usar termos ligeiramente diferentes na descrição do transtorno. Mas mesmo quando os profissionais não utilizam esses termos da mesma forma, eles geralmente concordam que uma criança se encaixa em um diagnóstico mais amplo de TEA.

Transtornos de Desenvolvimento Pervasivos menos frequentes

A Síndrome de Rett é um transtorno de desenvolvimento que começa com o desenvolvimento inicial normal e é seguido pela perda de habilidades motoras, particularmente do uso das mãos, e de movimentos distintos, tais como torcer as mãos, regressão em habilidades e crescimento lento.

O Transtorno Desintegrativo da Infância começa com um desenvolvimento normal até a idade de 3 ou 4 anos, e é seguido por perda grave das habilidades de comunicação, sociais, motoras e de brincar.

Como são tratados os TEAs?

Os tratamentos mais recomendados para crianças com Transtornos de Espectro Autista (TEAs) começam tão logo seja possível após o diagnóstico e incluem muitas horas de trabalho individual com a criança. O médico de seu(sua) filho(a) e outros especialistas recomendarão um plano específico para as necessidades da criança.

Para crianças menores de 3 anos

Em Massachusetts, crianças com menos de 3 anos de idade com TEAs qualificam-se para dois conjuntos de serviços oferecidos pelo Departamento de Saúde Pública:

Early Intervention Services (EI) [Serviços de Intervenção na Primeira Infância] são prestados em casa ou no local onde a criança recebe tratamento, e podem incluir fonoaudiologia, terapia ocupacional, fisioterapia, e especialistas em desenvolvimento. Leia mais sobre os EI aqui: www.mass.gov/dph/earlyintervention. É importante ressaltar que os centros EI possuem programas direcionados para as famílias, e que há assistentes sociais e psicoterapeutas para dar apoio aos pais. Muitos centros EI oferecem também grupos de brincadeiras em seus escritórios ou na comunidade uma ou mais vezes por semana, e proporcionam transporte para que seu(sua) filho(a) possa participar do grupo. Além disso, os centros EI também disponibilizam para cada família um coordenador de serviço que facilita o atendimento, inclusive trabalhando com os prestadores de Serviços Especiaiizados, descritos a seguir.

Servicos Especializados são componentes importantes no tratamento de seu(sua) filho(a) e também são oferecidos em casa ou no local onde a criança recebe assistência. Os prestadores de serviços utilizarão abordagens terapêuticas conhecidas como “ABA”‖ ou “Floortime”, ou uma combinação dos dois (há descrições dessas abordagens na sequência). Os especialistas recomendam que as crianças com TEA recebam até 25 horas por semana de serviços intensivos, dependendo de suas necessidades individuais. Os provedores de ABA/Floortime devem trabalhar junto com os terapeutas dos EI.

Para crianças acima de 3 anos

Crianças com 3 anos de idade ou mais com TEA recebem atendimento por meio de seu próprio distrito escolar se consideradas qualificadas através de um minucioso processo descrito no “Guia dos Pais sobre Educação Especial”, disponível na página www.fcsn.org/parentguide/pgportuguese.pdf. Os serviços são quase sempre oferecidos na escola, mas serviços residenciais também podem ser incluídos. Contate o departamento de Educação Especial no seu distrito escolar para iniciar o processo. Você pode encontrar o distrito escolar na lista telefônica ou visitando a página do Departamento de Educação Elementar e Secundária de Massachusetts, http://profiles.doe.mass.edu/.

Nas terapias “ABA”  e “Floortime”,  duas das abordagens educacionais mais comumente utilizadas para crianças com TEA, os prestadores de serviços trabalham passo a passo com a criança para desenvolver habilidades de linguagem, sociais e de brincadeira. Leia aqui uma descrição geral de cada abordagem:

Análise Comportamental Aplicada (ABA) desenvolve novas habilidades e elimina comportamentos difíceis ao dividir as tarefas em pequenos passos. Essa abordagem desenvolvida cientificamente é especialmente eficaz para atrair a atenção de crianças difíceis de se alcançar, e pode ser adotada em qualquer local – um uma mesa, no parquinho, ou na sala de aula – desde que o prestador de serviço seja um profissional treinado em ABA.

Floortime (também conhecida como DIR, abordagem dedesenvolvimento, individualidade e relacionamento) inclui rotinas altamente motivadoras, relacionadas aos interesses da criança, e desenvolve habilidades sociais, de comunicação e de brincadeira através de interações lúdicas cada vez mais complexas. Abordagens semelhantes incluem Comunicação Social, Regulação Emocional e Apoio Transacional (SCERTS) e Intervenção para Desenvolvimento Relacional (RDI).

Além dessas abordagens, a maior parte dos programas para crianças com TEA incorpora ferramentas específicas, tais como:

Fonoaudiologia, que ajuda a criança a aprender, entender e se expressar através da linguagem.
Intervenções totais de comunicação, que envolvem o uso da linguagem, vocalizações, imagens e gestos, assim como linguagem de sinais e o Sistema de Comunicação de Troca de Imagem (PECS) – ou praticamente qualquer meio que uma criança possa utilizar para se comunicar.

Terapia ocupacional, fisioterapia e terapia de integração sensorial, que se concentra nas habilidades motoras finas (mãos e dedos) e grossas
(musculares), e necessidades sensoriais.

Apoios comportamentais positivos, os quais minimizam comportamentos difíceis através da recompensa para comportamentos, reações e conclusão de tarefas apropriados.

Profissionais da área médica podem implementar também as seguintes terapias:

Medicação. Não existe uma medicação especial para o TEA. Alguns medicamentos podem ajudar com sintomas como hiperatividade, ansiedade, comportamentos compulsivos, atenção ou agressão. Pergunte a seu médico sobre medicamentos que possam ser adequados para seu(sua) filho(a) e se os benefícios são maiores que qualquer risco ou efeito colateral associado a cada medicamento.

Terapias biológicas, que incluem dietas especializadas ou restritas, suplementos nutricionais e vitaminas. Consulte o seu médico para determinar se tais abordagens são comprovadamente seguras e eficazes.

LEIA TAMBÉM:

ABA – Análise Comportamental Aplicada

www.rsaffran.tripod.com/whatisaba.html

Floortime ou DIR

www.floortime.org

PECS – Sistema de Comunicação de Troca de Imagens

www.pecs-usa.com

SCERTS – Comunicação Social, Regulação Emocional e Apoio Transacional

www.scerts.com

RDI – Relationship Development Intervention [Intervenção de Desenvolvimento Relacional]

www.rdiconnect.com

Sensory Processing/Integration Disorder [Transtorno de Integração/ Processamento Sensorial]

www.sinetwork.org

Informações gerais e resumos de pesquisa e opções de tratamento

www.asatonline.org

Para ler mais sobre os TEAs, acesse estas páginas:

www.cdc.gov/ncbddd/autism/facts.html

www.aap.org/healthtopics/autism.cfm

www.autism-help.org

www.autism-pdd.net

www.autism-society.org

www.autismspeaks.org/what-autism

www.iancommunity.org

Anúncio