Apple diz que não vai alcançar resultados previstos devido ao coronavírus

A Apple anunciou esta segunda-feira que não vai alcançar a projeção prevista para o primeiro trimestre do ano devido à epidemia de coronavírus, que prejudicou as vendas da empresa na China.

“Não esperamos atingir a faturação que tínhamos previsto para o trimestre de março”, informou a companhia em comunicado.

Em janeiro, a empresa tinha estimado uma receita entre 63.000 e 67.000 milhões de dólares para o trimestre atual, que termina em março.

Altamente dependente da China, a Apple faz um quinto das vendas no gigante asiático e depende de trabalhadores chineses para fabricar e montar muitos dos componentes para iPhones, iPads e computadores Mac, que depois são vendidos em todo o mundo.

Como tal, a Apple reconheceu esta segunda-feira que tanto a venda como a produção de produtos foram afetadas pelo coronavírus, que já matou mais de 1.770 pessoas só na China.

“A escassez de suprimentos de iPhone afetará temporariamente a receita em todo o mundo”, argumentou a empresa.

Segundo a companhia, a produção do iPhone diminuiu porque os funcionários chineses estão a regressar aos empregos “mais lentamente” do que o previsto, e a procura na China também caiu.

“Todas as nossas lojas na China e muitas das lojas dos nossos parceiros foram fechadas. Além disso, as lojas que estão abertas estão a operar com horário reduzido e poucos clientes”, detalhou.

A Apple é uma das primeiras grandes empresas a reconhecer que irá sofrer consequências económicas devido ao impacto global do coronavírus.

O medo do coronavírus, que já está a impactar os mercados de ações mundiais, levou analistas, bancos e algumas autoridades públicas a diminuírem as previsões de crescimento, especialmente para a China e algumas economias asiáticas.

 

Fonte: EFE

Anúncio