FABRÍCIO MOSER ESTREIA “AQUILO QUE ACONTECE ENTRE NASCER E MORRER”

Foto:Ricardo Martins

Dando continuidade às pesquisas que mesclam arte com vivências pessoais, o artista desenvolveu novo espetáculo de autoficção a partir da morte trágica dos pais em 2014.

Diante da vida, como lidar com a morte? Diante da morte, como lidar com a vida? Foi partindo destas questões, surgidas com a notícia da morte trágica de seus pais, que o diretor e ator Fabrício Moser desenvolveu seu novo trabalho cênico. “AQUILO QUE ACONTECE ENTRE NASCER E MORRER” estreia dia 09 de novembro às 20h e segue em temporada na Casa Quintal de Artes Cênicas, na Lapa, até 15 de dezembro. Enxergando o coração da experiência teatral na vida do artista, o projeto autobiográfico toma como parâmetros dramáticos os verbos nascer e morrer e busca a encenação de si sob o olhar do outro e dos outros sob o olhar sobre si. Deste modo, coloca no horizonte da criação artística as vozes do passado, do presente e do futuro, os documentos e a memória do ator, dos colaboradores e do público.

Quem acompanha a trajetória artística de Fabricio sabe que esta não é a primeira vez que compartilha experiências pessoais no seu fazer teatral. “O desafio de abordar dramas íntimos surgiu em ‘DUO sobre desvios’ (2012) e se intensificou em ‘Laura’ (2015), quando parti em busca da história da minha avó materna, assassinada em 1982. A morte dos meus pais durante o processo criativo da segunda peça, em 2014, e a necessidade de renascer, de alguma forma, depois disso tudo, foram sinais para continuar minha pesquisa autobiográfica e documental no teatro”, reitera Fabrício, que chegou a apresentar seus trabalhos em Portugal e na Espanha.

A concepção desta peça é semelhante às anteriores – transita entre diferentes linguagens, possui um tom artesanal e conta com a colaboração de artistas de diversas áreas. “Acredito num teatro que se caracterize pelo desejo de transformar vivências pessoais em experiências coletivas de aprendizado. Elas podem ser trágicas, cômicas, sublimes, delirantes ou até cruéis”, analisa ele, com o distanciamento que um trabalho do tipo requer. “Talvez, de alguma forma, realizando as apresentações públicas, ocorra comigo um processo de cura ou catarse, mas as três peças não nasceram desse desejo. E se há cura ou catarse ela não é só minha, é também do público”, pondera.

A montagem apresenta dispositivos de linguagem inspirados em rituais de nascimento e morte, e sua dinâmica nasce do encadeamento destas cenas, onde artista e público são confrontados a buscar e encenar a força dramática da vida. “Cada apresentação deve oferecer uma resposta diferente para as questões que se apresentarem, pois o teatro existe através das relações estabelecidas no seu ato: ele nasce da presença e sobrevive através do encontro, da interação e do conhecimento que pode ser adquirido através dele. Esta me parece a melhor forma de aprender sobre a vida – e investigar o sentido dela é uma inclinação atual dos meus trabalhos artísticos”, corrobora.

Se morrer e nascer são os verbos que delimitam aquilo que entendemos por vida, o teatro pode ser compreendido como um grande ritual de passagem, onde viver pode ser um limite. E o artista que expõe suas vivências publicamente, realiza sua troca de pele? “Podemos pensar desta forma, desde que consideremos o reinício destas situações como uma necessidade em um movimento constante, um desnudar-se para vestir-se. Tudo para que possamos compreender, então, o nascer e o morrer como aquilo que entendemos por vida, a vida como uma sucessão de nascimentos e mortes, e o teatro como uma centelha de vida, que nasce e morre diante dos nossos olhos”, sintetiza encerrando.

SERVIÇO:

“AQUILO QUE ACONTECE ENTRE NASCER E MORRER”

09 de novembro a 15 de dezembro de 2019

Horário:

Sábado e domingo – 20h

Local:

Casa Quintal de Artes Cênicas
Rua Sílvio Romero, 36 – Lapa.

Ingressos:

R$ 30 (Inteira)

R$ 15 (Meia-entrada)

Classificação Indicativa: 16 anos

Gênero: Autoficção

Duração: 60 minutos

FICHA TÉCNICA:

Criação, Direção e Atuação: Fabrício Moser
Colaboração Artística: Cassiana Lima Cardoso, Gabriel Morais, Gabriela Lírio, Ricardo Martins, Silvana Rocco e Tato Teixeira
Programação Visual: Davi Palmeira
Consultoria Audiovisual: André Boneco
Assessoria de Imprensa: Marrom Glacê – Gisele Machado & Bruno Morais
Produção: Fabrício Moser e Gabriel Morais