II Seminário de Equideocultura promoverá conhecimentos sobre a atividade

Inovações nos negócios, legislação sanitária e demais assuntos que envolvem os equídeos serão debatidos em evento

Apresentar informações sobre o setor de equideocultura, suas potencialidades em negócios diversos nas áreas voltadas ao trabalho, lazer, esporte, saúde, turismo bem como legislações e organização do setor, conferem os pontos essenciais do II Seminário de Equideocultura do Sistema Faeg Senar/ Ifag. É uma oportunidade também de estar com pessoas da área e realizar networking com um público de criadores de equídeos, produtores rurais, colaboradores, praticantes de esportes equestres e pessoas relacionadas à equideocultura. O evento será realizado no dia 30 de outubro (quarta-feira), das 07h30 às 12h, na Cavalaria Regimento de Polícia Montada (RPMON). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo link: https://ev.congressy.com/seminario-de-equideocultura/.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Câmara Setorial de Equideocultura foi criada em outubro de 2003 e é constituída por 16 órgãos e entidades representativas dos diversos segmentos do setor, sendo um deles a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Contando com um membro representante dos produtores, Hélio Fábio Guerra, representante da CNA e que também coordena como Presidente, a Comissão de Equideocultura da Faeg tem tratado de vários assuntos que chegam a ele e em conjunto, buscam soluções aos problemas do setor nestes fóruns.

Com cinco anos de atuação, a Comissão da Faeg juntamente com produtores, parceiros institucionais, de ensino e órgãos do Governo, visa o desenvolvimento da atividade do Estado de Goiás, promovendo a evolução do setor e trazendo informações relevantes às lideranças, além de oportunizar o debate de demandas, intermediando a busca de soluções aos que convivem diariamente com os equídeos e que têm nestes animais, suas fontes de renda, trabalho, lazer e saúde.

Assim, Hélio Guerra, que soma como instrutor do Senar Goiás reforça sobre a necessidade de articulação para dar o suporte necessário às demandas do setor. Para ele, os cursos do Senar também contribuem com a comunidade visando à capacitação de mão de obra disponível. “Trabalhamos na Câmara Setorial de Equideocultura do Ministério da Agricultura, que promoveu o Estudo do Complexo do Agronegócio do Cavalo, o Manual de Boas Práticas de Manejo em Equideocultura, dentre outras realizações”, comenta Guerra.

Um dos palestrantes do Seminário é o auditor fiscal federal agropecuário, médico veterinário do Mapa, Wendel Amaral de São Bernardo que falará sobre a sanidade animal na atividade de equideocultura. Para ele, o maior interessado na sanidade dos equídeos não é o governo ou qualquer outra entidade, e sim, os produtores rurais, criadores que vivem diretamente com a atividade, têm sua fonte de renda e oportunidade de negócios nos equídeos e aqueles que amam os animais. “As ações de sanidade visam o bem comum e o benefício é de toda uma cadeia de negócio que atinge milhares de pessoas, seja na saúde quanto sobrevivência financeira,” relata.

Negócios

A inovação nos negócios que utilizam os equídeos será a abordagem do gestor, médico veterinário e cavaleiro desde os seis anos de idade do Centro de Treinamento de Cavalos, Aluísio Marins. Ele que já competiu desde provas de marcha, passando por hipismo, laço, tambor e enduro pertence à Universidade do Cavalo (UC) localizada em Sorocaba (SP). “É preciso vivenciar as ofertas que o mercado apresenta no dia a dia dos centros equestres e estamos aqui para lidar com tudo isso. Afinal, existe alguém ao vivo conectando a um cavalo real,” explica.

Pesquisas

A professora de Equideocultura e Julgamento de Equídeos da Universidade Federal (UFG), a médica veterinária, Kate Barcelos será debatedora pela primeira vez no Seminário. Segundo Kate, mesmo com a crise econômica que o Estado de Goiás vive, o campo se mostra promissor.

“É necessário mais pesquisas que explorem as diversas áreas da cadeia produtiva mostrando ao público a importância econômica da atividade. A indústria de equipamentos e insumos para o setor vem evoluindo muito, no entanto, ainda falta informação e caracterização das atividades regionais que são um entrave na aquisição de mais recursos ao ‘agronegócio cavalo’,” aponta.

Confira a programação:

07h30 – 08h30 – Inscrições

08h30 – 09h – Abertura

09h – 09h45 – Os benefícios da sanidade equídea – aspectos legais e de saúde humana com o auditor fiscal agropecuário da SFA-GO/Mapa – Wendel Amaral

09h45 – 10h30 – Inovação nos negócios que utilizam os equídeos com o prof. da Universidade do Cavalo (UC), Aluísio Marins

10h30 – 10h50 – O papel da Comissão de Equideocultura da Faeg para o desenvolvimento das atividades no estado com o Presidente da Comissão Equideocultura da Faeg e Instrutor do Senar Goiás, Hélio Fábio Guerra

10h50 – 11h50 – Debate

Mediador: Hélio Fábio Guerra – Sistema Faeg Senar

Debatedores: Cel. Jorge Dornelles – Pres. da Associação Nacional de Equoterapia – ANDE-Brasil

Ten. Cel. Alyson Ferreira S. Carneiro – Comandante da Cavalaria – PMGO

Profª. Kate M. C. Barcelos – Universidade Federal de Goiás – UFG

Wendel Amaral – Auditor Fiscal SFA-GO/Mapa

Aluísio Marins – Prof. Universidade do Cavalo (UC)

11h50 -12h – Encaminhamentos e encerramento

Serviço:

Pauta: II Seminário de Equideocultura do Sistema Faeg Senar

Data: 30 de outubro (quarta-feira)

Horário: 07h30 às 12h

Local: Cavalaria Regimento de Policiamento Montado – RPMON (Av. Ver. José Monteiro, 1727-1813, Setor Negrão de Lima)

Para mais informações:

Comunicação Sistema Faeg Senar

(62) 3096-2208

(62) 99555-5459