BREXIT: mais uma derrota para a conta de May

Anúncio

O povo britânico vive uma situação incerta. Podemos ter um brexit sem acordo ou até mesmo um cancelamento de toda esta história.

A décima derrota no Parlamento para Theresa May desde que se tornou primeira-ministra foi mais simbólica do que concreta.

A mais recente reunião sobre o Brexit, apresentada pelo Governo da primeira-ministra britânica na Câmara dos Comuns, foi derrotada nesta quinta-feira.

Por um lado, essa decisão dos deputados tem pouca influência concreta no processo, já que o texto em causa era vago e não introduzia mudanças no processo de renegociação estabelecido com a União Europeia.

Por outro, expõe perante a Europa e os britânicos como os membros mais pró-Brexit do Partido Conservador estão dispostos a desafiar May e a arriscar uma saída do Reino Unido sem acordo.

A reunião em causa não trazia nada de novo, a não ser a confirmação de que o Governo britânico está disponível para seguir a vontade do Parlamento:

“Esta Câmara vê com bons olhos a declaração da primeira-ministra de 12 de fevereiro de 2019; reforça o seu apoio à abordagem de saída da UE expressa por esta Câmara a 29 de janeiro de 2019 e nota que as conversações entre o Reino Unido e a UE na fronteira da Irlanda do Norte continuam a decorrer.”

Este era o texto oficial, que acabou por ser vetado com 303 votos contra e apenas 258 a favor.

Um grupo dentro do Partido Conservador liderada por Jacob Rees-Mogg que defende uma saída sem acordo da UE não demonstra felicidade.

Um compromisso tão claro do Governo para evitar uma saída sem acordo é interpretado por muitos deste grupo como uma solução que pode impedir o Brexit de vir a acontecer, razão pela qual decidiram abster-se na votação.

O Governo irá continuar tentando alcançar um acordo com a UE para garantir que a saida seja estabelecida a tempo, em 29 de março.

Porém…. ninguém tem certeza se o brexit vai acontecer mesmo e, se acontecer, que tipo de acordo veremos vigorar.

Anúncio