Bolsonaro afrouxa leis de armas no Brasil, capital mundial de assassinatos

Anúncio

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, assinou nesta terça-feira um decreto que torna mais fácil para muitos brasileiros possuírem armas de fogo, a primeira das muitas mudanças esperadas pelo governo para reformar as leis de armas no país que lidera o mundo em total de homicídios.

Bolsonaro assinou o decreto em uma cerimônia televisionada na capital do pias, argumentando que outras mudanças são esperadas para serem promovidas no Congresso para ajudarem as pessoas a se defenderem.

O ex-capitão do Exército e líder da extrema direita disse que sua vitória eleitoral no ano passado foi um sinal de que os cidadãos da maior nação da América Latina queriam se armar.

“As pessoas decidiram em favor da compra de armas e munições e não podemos negar o que as pessoas querem neste momento”, disse Bolsonaro, que durante a campanha muitas vezes fez gestos de pistola para para seus seguidores com os dedos.

O decreto estabeleceu uma ampla gama de categorias de pessoas que se qualificam para posse de armas, e funcionários do governo disseram que este foi criado para cobrir praticamente qualquer cidadão que queira uma arma de fogo.

As categorias incluem cidadãos que vivem em áreas rurais, em áreas urbanas com altos níveis de homicídio, empresários, colecionadores de armas e caçadores. Os possíveis proprietários de armas ainda precisam atender a outros requisitos, como não ter antecedentes criminais, fazer um exame psicológico, fazer um curso em um clube de tiro e ter pelo menos 25 anos de idade.

Antes do decreto, a lei estipulava que os civis que queriam possuir uma arma tinham que justificar seu interesse. Bolsonaro e outros proponentes da legislação abrangente, argumentaram que tal exigência era arbitrária – tais revisões aconteceram com um policial federal – e significavam que, na prática, muitos possíveis proprietários eram negados.

Artigo de Peter Prengaman e Mauricio Savarese – Associated Press em 15 de janeiro de 2019 para o Washington Times; traduzido por Paula Tooths.

Anúncio