O nosso EGO!

Carmen Thiago
Carmen Thiago – Artista Plástica, ilustradora, designer, poeta e colaboradora do site Na Pauta Online.

Todo ser humano ao vir ao mundo, nasce com a essência da Vida que é o espírito/consciência. Além dele, há também a alma, que é como um HD, um banco de dados de memórias das vidas já experimentadas, enquanto o espírito/consciência contém todas as informações da Vida cósmica, ou seja, o ser divino, um aspecto da Mente Divina que ganha forma para se expressar no mundo físico.

Ao encarnar no mundo físico como indivíduo, o ser passa a receber as influências do seu meio, através da família e da comunidade, o que começa a lhe imprimir níveis de comportamento que seu meio ou comunidade passam a lhe impor, através de leis e normas de conduta moral para que se comporte como a maioria, como obedecer as autoridades que começam com seus pais, depois professores pois precisa estudar, se formar e conseguir um emprego ou posição social para se manter ou se destacar no mundo para poder ser “aceito”pelo mesmo. Acrescentando o poder de adquirir ou consumir coisas, que lhe dará um certo status e que é o que move esse mundo, já que nele vivemos uma realidade transitória, com base apenas nas ilusões carnais.

Essas condutas quase obrigatórias que temos que seguir, para não destoarmos do nosso meio, saindo dos trilhos e não sendo punidos pelas leis ou pelos semelhantes, acabam nos tornando robotizados, pois como o gado, temos que nos mover na vida de acordo com a maioria, guiados por autoridades sejam na comunidade, governamentais, religiosas e até empresariais que detém grande parte do poder mundial e que são os maiores influenciadores dos governos e religiões.

Nesse processo, desenvolvemos um personagem em nós, a quem damos o nome de Ego, que é o que vai nos definir como um indivíduo dentro dessa massa, em que passaremos a acreditar que é o que somos, totalmente esquecidos de nossa essência divina, nosso verdadeiro ser.

Nesse Ego, passamos a escolher “verdades” pessoais, como o que é bom ou ruim, lindo ou feio, alegre ou triste, e etc. E é com base nessas “verdades” pessoais, que passamos a julgar tudo e todos a nossa volta.

Nossos problemas começam, quando passamos a viver exclusivamente em função dessas interpretações que damos apenas ao que observamos fora de nós,perdendo totalmente o contato com o verdadeiro ser de ordem espiritual.

Mesmo quem sabe que é um espírito não um corpo, acaba se esquecendo disso na labuta do dia a dia e nada faz para se reconectar, para entrar em contato consigo mesmo em sua essência e se curar de toda essa ilusão.

Na verdade, passamos a buscar as curas fora de nós, por vários meios.

E fora de nós, temos apenas o que o mundo nos oferece, ou seja, apenas superficialidade, ilusões e lutas incessantes. Isso se dá, pelo fato de termos sido educados a dar mais importância ao ter do que ao ser. E nossos Egos, passam a atuar apenas em busca desse ter, pois pela crença mundana, só podemos alcançar a felicidade ou completude através de riquezas materiais, status, fama ou poder.

Um alto nível de riqueza material só é dado a muito poucos, mas a maioria tenta ser como os ricos e famosos acreditando que eles devem ser muito felizes e completos por terem de tudo. Pura ilusão.

Pois eles como qualquer um, tem seus dilemas, dramas, frustrações, dores, depressões e também se perdem em si mesmos, levando-os à vícios e fugas como drogas, álcool, sexo, comida, anti-depressivos e até a necessidade compulsiva de não apenas manter suas riquezas como de amplia-las cada vez mais, não importando a quantos isso poderá prejudicar.

Isso é sempre o Ego atuando, o personagem que passamos a acreditar que é o que somos, e que vive nesse corpo físico cheio de necessidades para garantir sua idéia de sobrevivência e proteção.

E nesse Ego, que pensa ser um corpo, passamos a viver exclusivamente em função dele, como se fossemos apenas isso, um corpo.

E como os corpos morrem, passamos toda a nossa vida lutando enlouquecidos para ele ter tudo o que necessita para a sua sobrevivência. É nesse processo que se desenvolve a força motriz desse Ego. O medo. Medo de não ter o que comer, onde morar, o que vestir, de como manter nossa beleza, nossos bens ou poder, medo de não sermos aceitos, amados, respeitados e de tudo o que ele entenda que necessita para o bem estar de seu corpo no mundo.

Ele se torna extremamente egoísta. É só se sentir ameaçado em qualquer uma dessas suas idéias de necessidades, que poderemos ver sua verdadeira face. Por isso veste-se de tantas máscaras. Pois teme que o vejam como realmente é.

E é desse medo que derivam as piores atrocidades cometidas na humanidade, pois ele desenvolve um séries de níveis de loucuras. Essas loucuras levam pessoas à trapacear, iludir, manipular, roubar e até matar, com as auto-justificativas mais absurdas.

E entre nós, existem os raros que fogem à essas regras egóicas, porque de algum modo entenderam a loucura disso tudo, e se negam a exerce-la como a maioria.

Esses passam a ser tratados como os diferentes, e os diferentes são ameaçadores, pois fazem o Ego, não só o individual como o Ego coletivo que soma as crenças iguais de toda essa humanidade, pensar sobre a sua própria loucura, mas isso é algo que ele não consegue, pois está radicalmente envolvido em suas crenças, ou verdades pessoais, das quais não quer abrir mão, pois mudar algo nelas, seria como perder sua identidade.

O diferente então é quem passa a ser tratado como louco ou indesejável. Aliás, como todas as diferenças que existem mundo afora, que são as maiores causadoras de desavenças, guerras e violências de toda ordem, onde certos grupos de iguais, chegam a matar por pura intolerância.

Mas é nesse mesmo Ego, que passamos a nos sentir vazios, não importa o quanto consigamos conquistar na vida, a sensação de vazio sempre permanece, levando em grande parte das pessoas à uma tristeza ou insatisfação inconsciente, causando um desconforto em relação às suas vidas que não sabem como sanar. Passam então a buscar cada vez mais coisas, mais conquistas, realizações de sonhos, prazeres, posses, relacionamentos, amores, além de tratamentos médicos contra depressões e ansiedades com as quais não conseguem lidar, e que acabam gerando outras doenças.

Isso é resultado da falta de contato com o eu verdadeiro, o ser essência, que é pura potencialidade, e que está nesse mundo para aprender a mudar e aumentar sua frequência vibracional, pois somos almas novas, engatinhando para aprender exatamente a alcançar essa potencialidade divina, para poder enfim viver nela, plenos de suas experiências. Porque a Vida se experiência em si mesma, e somos todos infinitos aspectos dessa Vida multifacetada.

E Vida é Amor. Amor puro. Incondicional. E só por esse Amor conseguiremos alcançar toda essa potencialidade. Mas presos em nossos Egos carentes e temerosos, que por crerem que são corpos que tem de suprir, se tornam egoístas e dificilmente se dedicam ao exercício desse Amor com seus semelhantes, quando muito os seus iguais. Só existe Energia Pura, que está contida em tudo que vive ou se expressa através de alguma forma. E todos nós, na verdade, somos Um Só Ser, multifacetado para essas experiências. O outro não existe, a não ser pela nossas crenças de que somos corpos separados. E só podemos vibrar em duas frequências. Ou no Amor, ou no medo, pois os dois não podem coexistir.

Vários seres iluminados já passaram por esse mundo nos mostrando o caminho para atingirmos a Paz e a Felicidade tão sonhadas e que é nossa verdadeira meta. Várias lições e mensagens nos foram deixadas por eles, mas apesar de até conhece-las, poucos se prendem à elas, como se fosse algo menos importante que as necessidades desses corpos. Então quando nos deparamos com sentimentos de tristeza, de injustiças, carências, de inconformarão e insatisfação com essa vida louca que assistimos diariamente, reforçando ainda mais nossos medos que nos levam a continuar crendo que precisamos nos defender o tempo todo de tudo, deveríamos nos perguntar…

– “Mas é só isso? “ – “A vida é só isso?” – “Ou existe outra maneira?”. Sim, existe outra maneira!

Só o fato de nos atermos a questionar, e se somado à uma busca sincera e determinada por respostas e meios de encontrar a Verdade sobre essa experiência no mundo, já teremos dado um grande passo.

O caminho para a Paz e Felicidades verdadeiras é longo, mas tem que ter um começo.

Para isso precisamos nos perguntemos… –O quanto estou a fim de mudar? Ou – “O quanto ainda aguento dessa loucura até tomar uma atitude ?”.

Hoje até a Ciência já nos tem dado respostas, através da Física Quântica, onde nos provam que tudo é pura energia, chegaram até ao Bóson de Higgs, a quem chamam a Partícula de Deus.

Tudo o que experenciamos através de nossas escolhas com nossos pensamentos e emoções fazem essa energia de que somos feitos vibrar em determinadas frequências. Quanto mais medo, mais apegos e mais sofrimento. Quanto mais amor, mais liberdade e Paz. E não temos que nos preocupar com as escolhas alheias, porque assim como temos nosso Livre Arbítrio, ou seja, a total liberdade de escolhas, todos também a tem, e não somos responsáveis por elas, nem por ninguém. Apenas por nós mesmos.

Parece um pensamento egoísticos, mas na verdade não o é, pois quando nos curamos de toda essa ilusão e passamos a vivenciar nosso verdadeiro ser, em paz, conseguimos também alterar a frequência coletiva. Não somos todos UM? Se queremos mudanças reais, de tudo o que interpretamos como mal, temos que começar as mudanças em nós mesmos. Pois só nós, podemos ser as mudanças que queremos ver no mundo. Está em nossas mãos. Livre Arbítrio, lembra?

Os caminhos são muitos, mas basta o aluno estar pronto, que o mestre necessário ao seu estágio evolucional, aparece. Já deu seu primeiro passo? Já deu muitos? Ou nenhum? Não importa.

Apenas se destine a tal. E o caminho da cura de toda essa ilusão e loucura, lhe chegará.

Você é mais do que pensa. Você é um ser divino com todo o potencial de um Deus. Energia pura!

O próprio Jesus nos disse…– “Vóis sois deuses!” e – “Buscai ao Reino de Deus, e tudo o mais te será dado por acréscimo!” – “Tudo o que eu posso, vóis também podeis e muito mais!”

E só quem crê, prova!

Boa reflexão!