Saudades de um amigo que partiu

Em uma madrugada fria, do dia 30 de julho de 2017, Goiânia perdia um dos seus mais dedicados homens de espírito público. Falecia sob um infarto fulminante o prefeito Paulo Garcia, que 6 meses antes havia deixado o cargo depois de administrar a capital dos goianos por 7 anos e 8 meses. O único prefeito nascido na nossa capital.

A cidade acordou incrédula! As 6 da manha eu já estava em seu apartamento, vendo o corpo estendido em sua cama com sua inconsolável companheira Dra. Tereza Beiler ao seu lado e alguns amigos e parentes próximos.

Ex-prefeito Paulo Garcia, sua esposa Dra. Tereza Beiler e o advogado Edilberto Dias

Foi um dia longo em que a cidade parou para prestar Tributo ao seu ex Alcaide. As rádios, jornais, emissoras de Tv e as redes sociais da internet, só falavam do Médico, esposo, pai e Líder, que partiu tão jovem na flor dos 58 anos de idade.

Um líder que transformou a cidade de Goiânia, que incutiu nas pessoas e na administração publica o conceito de sustentabilidade, que vislumbrando o futuro construiu 100 km de ciclovias e ciclorrotas. Que valorizou os servidores públicos, que honrou a justiça, a advocacia e os credores do município pagando 100% dos precatórios. Um médico que construiu a melhor Maternidade do Centro Oeste onde já foram realizados mais de 13 mil partos e iniciou a construção de outra maternidade melhor ainda deixando com 50% das obras prontas e 32 novas unidades de saúde.

Paulo Garcia pensava grande, muitos reclamavam da sua administração, mas a cidade estava sempre em movimento. A Praça Cívica e a Praça do Sol foram reconstruídas, com um padrão de qualidade excepcional. Construiu 3 viadutos e uma ponte na Marginal Botafogo. Reconstruiu o Mutirama e instalou um novo e moderno teleférico. Construiu dezenas de parques por toda cidade e implantou o Parque Macambira Anicuns que deu uma nova feição a região sudoeste de Goiânia.

Paulo Garcia muito fez, mas não gostava de publicidade, implantou e reformou mais 100 praças pela cidade e em muitas nem compareceu a inauguração. Paulo era avesso a badalações e confetes, era um prefeito do povo, que era encontrado fazendo supermercado ou pedalando nos grupos de pedais por toda cidade.

Trabalhava muito, as vezes ia de bicicleta para o Paço municipal, foi leal ate com os que o abandonaram politicamente. Enfrentou a maior crise econômica do país, mas nunca deixou de pagar a data base aos servidores. Investiu na educação construindo e inaugurando 37 novas unidades educacionais inauguradas (sendo 28 Cmeis e 9 escolas de ensino fundamental) com ampliação de 14 mil vagas para crianças de 0 a 4 anos.

Gostava de esporte e fez questão de construir sem alvoroço 40 Quadras poliesportivas nas Escolas municipais de Goiânia, a Praça da Juventude do Setor Novo Horizonte e o Centro Esportivo Jardim Guanabara.

Paulo Garcia era um grande amigo e partiu cedo e como dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade: “Tenho razão de sentir saudade, tenho razão de te acusar. Houve um pacto implícito que rompeste e sem te despedires foste embora. Detonaste o pacto”.

Goiânia perdeu um grande Prefeito e gestor e a cada dia a população reconhece o seu legado. Amém.

*Por Edilberto de Castro Dias é advogado e ex-presidente da COMURG.
edilbertocastrodias@gmail.com