UE aplica multa de R$ 19,3 bi contra Google

Anúncio

Empresa é penalizada por agir de modo ilegal ao encorajar as fabricantes a já instalarem previamente aplicativos e serviços em seus dispositivos.

A União Europeia anunciou uma multa de € 4,34 bilhões (ou R$ 19,3 bilhões) contra a Alphabet, controladora do Google, em um caso antitruste – que se destina a punir práticas anticompetitivas – relacionado ao sistema Android.

Além disso, o bloco determinou mudanças em seu negócio que podem atrapalhar o domínio do maior motor do crescimento da companhia, os telefones celulares.

A decisão da UE argumenta que o Google agiu de modo ilegal ao alavancar seu poder de mercado para encorajar as fabricantes a já instalarem previamente aplicativos e serviços em seus dispositivos. Isso, porém, prejudica a concorrência, concluiu o bloco.

A ação da Alphabet recuava 1,1% no pré-mercado em Nova York, após o anúncio da multa, por volta das 8h15 (de Brasília).

O Google, porém, argumenta que o sistema Android ajudou a expandir a competição.

Como parte da decisão, a UE determinou que o Google pare de exigir que as fabricantes de celular instalem previamente o browser do Google, o Chrome, e que façam o mecanismo de busca o padrão nos telefones.

O bloco ainda disse que a companhia deve encerrar restrições que desencorajam fabricantes de vender versões não oficiais do Android.

Agora, o Google pode ser forçado a oferecer novos termos a empresas parceiras, chegar a acordos com concorrentes ou mesmo ter de pagar por seus aplicativos instalados previamente.

Punições. 

Em junho do ano passado, o Google recebeu uma multa bilionária, devido à acusação de que o serviço de busca abusou de sua posição dominante no mercado ao dar destaque, nas pesquisas de usuários europeus, ao seu serviço de comparação de preços, o Google Shopping, no lugar dos rivais.

Anúncio