Brasileiros vão precisar de autorização digital para entrar na União Europeia

Os turistas brasileiros que pretendem visitar os países da União Europeia serão obrigados, a partir de 2020, a solicitar uma autorização digital de viagem. Para obter o documento, com validade de três anos, será preciso preencher um formulário online com dados pessoais, como número de passaporte e histórico de viagens, e pagar uma taxa de € 7 (R$31.88).

Batizado de Etias (European Travel Information and Authorisation System), o novo sistema visa, segundo as autoridades europeias, incrementar os controles de fronteira do bloco em meio às recentes preocupações de segurança com o terrorismo e a crise de imigrantes.

A medida irá afetar brasileiros e outras 61 nacionalidades que não precisam hoje de visto para entrar nos países que compõem o chamado Espaço Schengen. A estes cidadãos é permitido atualmente visitar a região por um período de até 90 dias apresentando apenas um passaporte válido.

Viajantes que têm como destino outro país, mas que precisam fazer escala ou conexão em aeroportos no Espaço Schengen, também deverão obter a autorização.

Brasileiros que possuem dupla nacionalidade de algum país da União Europeia não vão precisar do documento. Reino Unido e Irlanda, que não fazem parte do Espaço Schengen, não irão adotar o novo sistema. Quanto aos cidadãos britânicos, ainda é incerto quais serão as exigências para eles após a efetivação do Brexit.

Confira a lista de países que vão passar a exigir o Etias: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia e Suíça.