Crise dos refugiados

E a crise dos refugiados continua….

 

O novo acordo põe um fim às quotas de distribuição de requerentes de asilo e refugiados estabelecidas em 2015, que foram contestadas sobretudo por países da Europa central e de leste, como a Hungria e Polónia. A partir de agora, o voluntarismo é um conceito-chave do novo sistema de acolhimento de refugiados e requerentes de asilo.

 

 

Uma longa e dura maratona de negociações permitiu aos líderes europeus chegarem a um acordo sobre o problema das migrações, num plano que envolve criar centros controlados dentro da Europa.

 

Os 28 países da comunidade europeia chegaram a um acordo onde a recepção de requerentes de asilo passa a funcionar em centros distribuídos pelo continente — mas nenhum país é obrigado a tê-los no seu território.

 

Apesar do esforço, especialistas criticam: é vago e uma manta de retalhos.

 

Portugal não se candidata a acolher centros controlados para receber migrantes

 

O primeiro-ministro, António Costa, disse esta sexta-feira que Portugal não é candidato a acolher centros controlados, previstos no acordo sobre migrações alcançado no Conselho Europeu, em Bruxelas.

 

“Portugal não se candidata, nem havia razões para isso”, esclareceu o primeiro-ministro português, quando questionado sobre se o país seria candidato a acolher centros controlados, destinados a receber pessoas resgatadas em operações de salvamento no Mediterrâneo.

 

Líder húngaro desmente acordo com Merkel sobre acolhimento de refugiados

 

O primeiro-ministro nacionalista húngaro Viktor Orban assegurou este sábado que não existe nenhum acordo com o governo alemão sobre o acolhimento de refugiados que vão ser expulsos da Alemanha.

 

Malta e Itália recusam entrada de embarcação de ONG espanhola com 60 migrantes

 

A organização não-governamental (ONG) espanhola Proactivaresgatou este sábado 60 migrantes no Mediterrâneo e espera autorização para desembarcar as pessoas, depois de Itália e Malta terem reafirmado a sua recusa em acolher mais embarcações.

 

Sábado de manhã, em águas internacionais foram resgatados 60 cidadãos, incluindo uma criança de nove anos, da Palestina, Sudão do Sul, Mali, Síria, Burkina Faso, Costa do Marfim, Eritreia, Egito, República Centro africana, Etiópia, Líbia, Bangladesh e Guiné.

 

Espanha autoriza chegada de mais um navio com migrantes recusado por Itália e Malta

 

O Governo de Pedro Sánchez deu luz verde para que o Open Arms, um navio da ONG espanhola Proactiva Open Arms, atracasse em Barcelona com 60 migrantes a bordo. Este é o terceiro navio que o governo espanhol autoriza que entrasse nos seus portos depois de ser rejeitado por outros países.