O inglês realmente ganha mais que o brasileiro?

Anúncio
Paula Tooths
Paula Tooths – Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de quatro títulos publicados no Reino Unido e repórter do Na Pauta Online.

Ganhos mensais e anuais são relativos a onde você mora. Salário só pode ser comparado se os valores das contas básicas forem iguais ou similares. Há quem diga que o salário do britânico é muito alto, mas aqui mora uma contradição.

Diferente do Brasil, no Reino Unido recebemos por hora e trabalhamos em média 40 horas semanais, quando trabalhando em tempo integral.

O pagamento mínimo por hora para trabalhadores com mais de 25 anos é de £7.83 (R$ 38.91); para trabalhadores de 21 a 24 anos é de £7.38 (R$ 36.67); para trabalhadores de 18 a 21 anos é de £5.90 (R$ 29.32); para trabalhadores menores de 18 anos é de £4.20 (R$ 20.88) e para aprendiz é de £3.70 (R$ 18.39). Em Londres, a recomendação e de £9.15 (R$ 45.47) por hora, mas raramente encontramos um empregador que pague salário baseado neste guia.

Anos anteriores:

Um trabalhador com mais de 25 anos ganha em media £313 (R$ 1.555) por semana ou cerca de £1.345 (R$ 6.683) por mês, antes da dedução de impostos, que não é pequena. Um técnico ou especialista ganha pouco menos que o dobro, com media nacional de £26.000 (R$ 129 mil) por ano. Considerando que a base salarial de um aprendiz é menos do que a metade, muitos empregadores optam por esta categoria para sobreviver à crise, deixando milhares de trabalhadores desempregados.

O pagamento na Inglaterra realmente parece alto, mas quando colocamos os custos na ponta do lápis, o salário não é tão alto assim. Com salário mínimo não é possível viver às próprias custas, sem auxilio governamental.

Moradia

Para alugar um quarto simples em uma casa de família na periferia de Londres não sai por menos de £100 (R$ 500)/semana. No centro, um quarto simples pode chegar a £500  (R$ 2500)/ semana. Para alugar um quarto, é necessário pagar depósito de 4 a 8 semanas, mas dificilmente outros documentos serão solicitados.

Uma quitinete fora do centro, dependendo do bairro, poderá ser encontrado a partir de £1100 (R$ 5500) por mês. Uma casa razoável, de dois quartos, nas redondezas de Londres, em bairro residencial e fora do centro, custará a partir de £1800-2000 (R$ 8900-10.000) mensais. Para alugar uma casa ou apartamento, são necessários 4 a 8 semanas de depósito e um mês de aluguel adiantado, comprovante de renda e documentação para comprovar que o candidato tem situação legal no pais.

Outros custos devem ser considerados no cálculo de moradia. Água, eletricidade e gás para uma casa de 2-3 dormitórios, custará aproximadamente £400 (R$ 1200) por mês. Há ainda o ‘CouncilTax’, que é uma espécie de taxa da prefeitura, que e calculado pelo tamanho do imóvel e localização, mais a taxa de lixo. Eles são pagos em conjunto e para uma casa de 2 dormitórios, em um bairro residencial, fora do centro, custa cerca de £150 (R$750) mensais.

Internet, canais de TV e telefonia geralmente são vendidos em forma de pacote e custa a partir de £100 (R$ 500) por mês. Alguns pacotes incluem uma linha de telefone móvel, mas quando não, um contrato feito separadamente custará a partir de £30 (R$ 150) mensais.

Alimentação

Em Londres existem três redes de supermercados europeus que barateiam a conta da alimentação. Lidl, Audi e Neto. Porém, em seus corredores, são encontradas marcas alternativas e ainda não se sabe se depois do Brexit, esses preços continuarão mais baixos do que as grandes redes. Hoje, no final da conta, a economia é de 15 a 20% com alimentação e higiene.

Para uma família de 4 pessoas – 2 adultos e 2 crianças, são gastos aproximadamente de £100 a £150 (R$ 500 a R$ 750) semanais.

Para quem tem prova de absoluta pobreza, existem os bancos de alimentação promovidos por fundações de caridade.

Transporte

É quase impossível para quem mora na capital ter um carro. O carro em si é barato, facilmente encontramos barganhas por £1000 (R$ 5000) ou até menos. O seguro para o Londrino geralmente fica mais caro do que o próprio carro, e é obrigatório. Anualmente, também há a obrigatoriedade do ‘MOT’ que é uma espécie de revisão feita por maquinários e que se o sistema mostrar qualquer irregularidade, você só poderá ter um certificado novo de MOT se pagar pelos reparos necessários. Também o ‘routetax’ deve ser somado à esta conta, que geralmente é pago semestralmente. Para um carro simples, o valor é de £100-150 (R$ 500-750). O pedágio para circular no centro não pode ser esquecido e custa £10 (R$ 50) por dia.

Para quem mora em Londres, é bastante fácil locomover-se sem um automóvel, mas esta não é uma verdade para todo o país. Aqui na capital, contamos com muitas rotas de trem, metrô, ônibus – convencionais e intermunicipais, trams (ônibus elétrico) e vários aplicativos de sistema de carona e taxi mais barato.

O ‘Oyster’ é um cartão de transporte pré-pago (disponível em Londres apenas). O cartão deve ser adquirido e custa £5 (R$ 25) para depois ser abastecido. Ônibus ainda é o método mais barato, por £2 (R$ 10). Se você precisar pegar um segundo ou terceiro ônibus, nada será debitado de seu cartão, desde que não tenha ultrapassado uma hora.

Educação e Entretenimento

Escolas primárias e secundárias são gratuitas para os britânicos e europeus, porém, existe uma norma em andamento para que os europeus passem a pagar por seus estudos após o Brexit. Existem escolas que aceitam crianças de pais ilegais, outras não.

As Universidades na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte não são gratuitas e custam em media £40 mil (R$ 200 mil) por termo. Na Escócia, as universidades são gratuitas para os escoceses apenas. Existem créditos educativos disponíveis em todo o país, mas deixam os estudantes endividados para o resto da vida.

Diversão comum por aqui é a televisão e a internet, e dependendo da área de residência, parques públicos. Cinema, teatro e outras atrações culturais são caras para a realidade do bolso britânico.

Saúde e Beleza

A saúde no Reino Unido é gratuita – para britânicos e europeus. Bem como no tópico educação, há uma norma em estudo, onde os europeus passarão a pagar pela saúde após o Brexit. Para quem não é britânico ou europeu e está aqui ou de passagem ou ilegalmente, terá de pagar pelos custos médicos.

O medicamento prescrito pela rede pública, tem custo de £8.40 (R$ 42) por unidade; já as receitas aviadas pela rede privada são cobradas com preço cheio. Na Escócia, os medicamentos são gratuitos, quando prescritos pela rede pública.

Os britânicos não são vaidosos como os latinos, até porquê a mão de obra aqui é muito cara. Manicure, cabelo, depilação e outros luxos só em ocasiões muito especiais, porém, aqui há o hábito de camas de bronzeamento que custa £1-10 (R$ 5 a 50) por sessão, dependendo da clinica.

Quem ganha mais?

Após ter uma idéia das contas mensais e dos salários, você deve ter concluído que é quase impossível pagar as contas por aqui. E sim, sua conclusão está correta.

Mães e pais trabalham em dois ou três empregos cada para assegurar que as contas serão pagas ao fim do mês. Jovens adultos já não saem da casa dos pais tão cedo. Será muito diferente do que a atual cena do Brasil?

Aqui também há corrupção. Segurança já não é a mesma do que foi um dia e o registro de desempregados hoje tem a maior marca já registrada.

Isto é Londres, ai é Brasil, façam suas comparações e tirem, suas conclusões.

Anúncio

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.